Navut, corretores, sites, como achar seu cantinho em Montreal

Via Montreal na Real
Por Marcio Ribeiro
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O assunto “busca pelo cantinho em Montreal” parece que nunca irá se esgotar. Recebemos e-mails frequentes e vemos quase diariamente nas comunidades de brasileiros no lado francês do Canadá perguntas do tipo: “estou chegando em Montreal. Qual o melhor bairro para morar?” Ou ainda “O bairro “xyz” é bom?” ou até “Qual o preço médio de um apartamento?”. Essas são perguntas difíceis de serem respondidas. Diria que quase impossíveis. Porque depende do gosto de cada um, qual experiência você deseja ter, seu perfil, enfim, é algo extremamente pessoal. Mas como o Montreal na Real não está aqui para complicar, mas para tentar dar uma mãozinha, vamos fazer o máximo para te dar um caminho. Pelo menos um ponto de partida e ferramentas úteis nessa jornada. Então vamos lá:
Quem chega na cidade provavelmente já tem um ponto de chegada. Pode ser um hotel, apartamento temporário, casa de amigos…não importa. Caso ainda não tenha, existem algumas maneiras de conseguir alugar um local para a chegada, inclusive estando ainda no Brasil. Os sites LesPac e Kijiji são os mais acessados pelos brasileiros. São sites normais de anúncios, como Mercado Livre ou as antigas Páginas Amarelas e você vai ter que confiar na pessoas que está anunciando. Aqui, na maioria das vezes funciona bem, mas nunca é demais pedir fotos do apartamento, vídeos, ou se puder pedir para um amigo dar uma olhada para você. Prudência e canja de galinha nunca fazem mal.
Outra maneira é através de corretores. A internet disponibiliza o contato de vários deles. Mas a mais conhecida pela comunidade brasileira, disparado, é Andrea Sitta. Ela é corretora da principal empresa do ramo imobiliário em Montreal, a Remax e costuma ajudar quem está para chegar ou já está por aqui. É também a única brasileira que vende e aluga imóveis comerciais e industriais.
Os contatos dela são.
https://www.facebook.com/asitta
asitta@me.com
Telefone: +1 (514)2072006
A Andrea faz parte de um grupo de corretores que trabalha em parceria com a próxima ferramenta que vamos indicar para vocês. Chama-se Navut, que é a revolução nesse assunto. Navut é um portal indexa os bairros da cidade (e outras seis em todo Canadá) e você pode fazer uma busca personalizada de acordo com seu gosto.
Por exemplo, você coloca na busca que procura um apartamento para alugar, de dois quartos, com preço entre 400 e 600 dólares, próximo de escolas públicas, que ensinem apenas em francês, perto do centro da cidade, que tenha a segurança 5, numa escala de importância de 0 a 10, com crescimento populacional X, perto de comunidades latinas, com vizinhos entre 25 e 40 anos, casados, com filhos  e bilingues. E…Voilà! O sistema te indicará como num passe de mágica quais os bairros mais se enquadram nos seus critérios de pesquisa. Um charme a mais é que os fundadores do site são brasileiros!
Como tentamos sempre dar a informação completa, fizemos um vídeo que já está disponível no nosso canal no Youtube mostrando o funcionamento dessa ferramenta e contando um pouco da história desses brasileiros empreendedores que lançaram uma empresa de sucesso no Canadá.
Os critérios para encontrar o melhor bairro estão listados no Navut. Mas cada um tem a sua maneira particular de procurar o lugar que mais se encaixa com o que quer para a vida. Para tentar dar mais uma clareada nessa complicada busca, vamos listar aqui alguns dos critérios que julgamos importantes de serem analisados.
O bairro de sua chegada poderá ser o seu definitivo ou te desagradar de uma maneira tão grande que você vai querer passar bem longe dele. Esse será seu primeiro critério para definir o bairro. Inevitavelmente.
Quanto você pretende gastar com moradia? Como em toda metrópole, os bairros mais perto do centro tendem a ter um aluguel mais caro. Existem os bairros mais nobres e os menos abastados. Mas há os emergentes e os que ficam no meio do caminho. E mesmo que você escolha a partir desse critério, terá acesso a praticamente os mesmos tipos de comércio e serviços dos demais. Não falo exatamente das mesmas lojas e restaurantes, por exemplo, mas de similares que te quebram aquele galho esperto. Estou me segurando para não nomeá-los e acabar cometendo injustiças, afinal de contas os critérios de avaliação mudam de pessoa para pessoa e não somos especialistas em mercado imobiliário montrealês.
Tem filhos? Se você já for um sortudo pai (ou mãe) de família, o bairro que você escolher definirá onde seu filho estudará. Então, caso tenha alguma creche (garderie) ou escola de preferência, procure morar perto. Você até pode morar num bairro diferente de onde seu filho estudará. Mas a escola tem que aceitar seu pedido e, caso algum morador novo do bairro solicite a entrada do filho e não tenha vaga, você perderá a sua para dar lugar à ele. Isso pode se tornar um transtorno no meio do ano letivo.
Deslocamento – Montreal é uma cidade relativamente pequena se comparada às capitais brasileiras. Mas às vezes o deslocamento é demorado. E no inverno com menos 30 graus na lata não deve ser lá muito agradável. Se você é daqueles que está acostumado a morar longe de onde estuda ou trabalha e não liga, esqueça esse critério.
Proximidade do metro – Não usei isso como critério, mas vejo no dia-a-dia que isso é importante para muita gente porque é mais prático. Os ônibus de maneira geral te permitem andar pela cidade toda, mas ter um meio de transporte rápido, saindo a cada cinco minutos, coberto e aquecido, não é nada mau.
Bom amigos, como falamos antes. Cada um tem seus critérios mas tentamos resumir da melhor maneira possível para tentar dar um caminho para quem está chegando ou está para chegar, ainda meio perdido. O bom daqui é que os contratos de aluguel são renováveis a cada ano. Então se você achar um local melhor depois do seu primeiro ano, poderá se mudar sem o estresse de quebrar contrato e ter que pagar multa.
Caso você tenha uma experiência na busca pelo seu cantinho nessa cidade, escreva nos comentários, mande e-mail, critique, sugira, xingue à vontade.
Au revoir, bye bye, tchau!
 
Fonte: Montreal na Real | www.montrealnareal.com
Por Marcio Ribeiro
Postado por: Interapoio | www.interapoio.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *