Montreal: como usar o metrô

Via Viaje na Viagem
 
 
 
Quando a temperatura e São Pedro permitem, Montreal é um bom lugar para caminhar: quase tudo é plano (na parte central, a exceção é uma subidinha entre a rue Sainte-Cathérine e a Sheerbrooke, coisa de duas quadras). No frio ou debaixo de chuva, existe a famosa rede de galerias subterrâneas.
 
Com pressa ou preguiça, porém, o metrô é uma mão na roda: fácil de entender, limpo, fluido. E é a melhor maneira de chegar a lugares como a ilha de Santa Helena, o Parque Olímpico e o bairro do Plateau du Mont-Royal. Pra ser perfeito, só faltam algumas escadas rolantes.
 
A viagem avulsa é muito cara: 3 dólares canadenses (o câmbio está parelho com o dólar americano no momento). O negócio é comprar um passe de um dia (8 dólares canadenses) ou três dias (16 dólares canadenses). O passe de um dia se paga em três viagens; o de três dias, em seis.
 
O passe também é válido no ônibus da STM para o aeroporto, cuja tarifa avulsa é de 8 dólares canadenses.
 
Quem ficar em Montreal por pelo menos uma semana pode fazer um Opus Card, um cartão com chip que é usado pelos moradores. O cartão custa 6 dólares canadenses e pode ser carregado com um passe semanal (22 dólares canadenses; validade começa na segunda e termina no domingo) ou mensal (73 dólares canadenses, válido do dia 1º ao último dia do mês). 
 
O passe só pode ser comprado nas maquininhas; a bilheteria humana apenas faz recargas nos cartões Opus. A maquininha é superfácil de usar. Só tem dois defeitos: nossos cartões não são aceitos (nhé!) e é preciso comprar um passe por vez. Mas aceita dinheiro e moedas, dá troco e recibo.
 
Para passar pela catraca, basta aproximar o cartão do leitor. Os paulistanos reconhecerão o mesmo sistema do Bilhete Único.
 
Algumas estações importantes durante a sua estada:
 

Linha verde

Peel: desça aqui para ir ao Museu de Belas Artes e aos bares da rua Crescent e Maisonneuve.
 
Place des Arts: Museu de Arte Contemporânea.
 
Berri/UQAM: Rodoviária e barzinhos da rue St.-Denis. Funciona como uma estação central do metrô, pois é o entroncamento para a linha laranja e a linha amarela.
 
Beaudry: no coração do Gay Village.
 
Viau: você já sai dentro do Parque Olímpico.
 

Linha laranja

Bonaventure: Gare Centrale (estação ferroviária).
 
Square-Victoria: região de bares e restaurantes transados da Rue McGill, na direção do porto.
 
Place d”Armes: desça para a Cidade Antiga.
 
Champs-de-Mars: para Chinatown (Place d”Armes também serve).
 
Mont-Royal: restaurantes da avenida Duluth (caminhe algumas quadras).
 
Laurier: a mais próxima do Mile End (bairro judeu, padarias de bagel, restaurantes no Boulevard St.-Laurent).
 

Linha amarela

Jean Drapeau: ilha Santa Helena, saindo do ladinho da Biosphère. Para o Cassino ou o parque de diversões La Roule, tome um ônibus dali.
 

Galerias subterrâneas

Para explorar Montreal debaixo da terra, desça em Peel, McGill, Place des Arts, Bonaventura, Square-Victoria ou Place d’Armes.
 
Fonte: Viaje na Viagem | www.viajenaviagem.com
Postado por: Interapoio |  www.interapoio.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *